A vida que escolhemos

A vida que escolhemos

Nossas cracas existem porque nós as criamos. Deixamos elas grudarem, as alimentamos e depois as batizamos de “problemas”. Temos todos os tipos de problemas, mas sempre, eles são causados pelos OUTROS…

Para resolver um problema é preciso antes de tudo, entendê-lo. Sendo assim, inicialmente temos que conhecer o OUTRO.

OUTRO é aquele indivíduo, fruto da nossa imaginação, de nossa idealização, que tem todas as virtudes que sonhamos e nenhum defeito.

Também é elementar que saibamos que nós somos o OUTRO para o OUTRO, isto é, ele vê em nós todos os defeitos e virtudes que ele imagina que temos…

Em suma, as relações que mantemos estão mais para Hollywood do que para a vida real, mas é indiscutível que a vida é feita de opções e é o resultado de cada uma dessas opções.

Esta é a segunda parte da questão. Apesar de sempre responsabilizarmos o OUTRO, a escolha é sempre nossa. Sempre somos nós que decidimos o que, quando e como faremos. Até quando não fazemos nada!

O OUTRO não nos faz nada espontaneamente. Nós é que pedimos que ele faça.

É importante que percebamos que nossa vida é feita de escolhas e sempre somos nós que escolhemos. O OUTRO só nos faz a vontade…

Mas se somos seres inteligentes, em busca da evolução (em todos os seus aspectos) e queremos ser felizes porque fazemos escolhas que são contra tudo isso? Claro que há situações imprevisíveis, como a morte, mas nas demais escolhas porque passamos a vida alimentando aquele sentimento? Vivendo com aquele desprazer?

Todo ser vivo tem duas funções básicas: sobreviver e reproduzir, e em nome dessas funções, surgem as cracas. A cultura produzida pela sociedade em que vivemos nos obriga a ter – e manter – posições que nos prejudicam. Fazemos isso por submissão e para nos sentirmos aceitos, fazendo parte do grupo. Em nome da sobrevivência aceitamos as cracas e por causa da procriação (medo da solidão) as cultivamos.

E como mudar isso? Como deixar de enxergar o OUTRO e passar a ver a si próprio? Como entender a nossa motivação para o desprazer?

Algo se consegue através de livros, mas ainda que seja o mais vendido no mundo tem pouco efeito porque falam de uma realidade que não é a nossa, assim como os conselhos e opiniões.

Uma forma eficiente para mudarmos o rumo das nossas vidas, nos livrando das cracas é perceber quem somos; porque fazemos aquilo; o porquê de termos aquela atitude, o que nos faz aturar o desprazer. Conseguimos essas respostas através da descoberta das nossas motivações inconscientes.

Os primeiros anos da nossa existência vão moldar o sujeito em que nos tornaremos. As emoções vivenciadas ficarão gravadas no inconsciente e serão responsáveis pelas nossas escolhas e pela forma como vemos o OUTRO.

Fazendo aflorar essas emoções e dar-lhes um novo significado nos modificará, proporcionando uma nova forma de vermos o OUTRO e isto influenciará as nossas escolhas.

Dr. Antonio Carlos – Psicanalista – Consultório em Bangu

tel.: 3045-6331 e 9965-3541

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



O sentido da vida

A busca da Felicidade

Vida sem sentido, semente que não germina

Presente no passado e talvez com futuro

Agora tá ruim, mas no futuro

Depressão

O Invisível Concreto

Quem sou EU

Romper ou manter o relacionamento?

Para que e por que fazer análise?

Por que ele fez isso ?

Receita para ser feliz

Entre o Corpo e o Espírito

Angústia

Para que fazer Análise?

Discutindo a relação

As lembranças

Opinião e Palpite

Você é quem gostaria de ser?

Quem ama o feio, bonito lhe parece.

Por que rejeitamos a felicidade?

Mãe e filho

Por que vejo o mundo assim?

Doenças

O lado secreto da vida

Solidão

Por que tenho isso, Doutor?

As diferenças

A Morte

Sensações ruins

Vontade, desejo e felicidade.

O que é Psicanálise

Felicidade – Isso existe?

A Bolsa de Valores de Chiawg-Xui

Saia do buraco

Ano Novo – Tudo Velho

O que você quer?

As cracas da nossa vida

A vida que escolhemos

A Importância da família

Desejos

Doenças Psicossomáticas

O que é Análise Psicanalítica? Para que serve? Como atua?

A Mudança e a Decisão

Por que sou assim ?

Esclarecimentos sobre o tratamento psicanalítico.

A dor e a Psicanálise

Vou ser feliz e já volto

O carcereiro e o encarcerado