Doenças Psicossomáticas

Doenças Psicossomáticas

Diz-se que uma doença é psicossomática quando o sintoma tem origem na mente. Tais sintomas costumam gerar muitas dúvidas, acarretando a consulta a diversas especialidades médicas e por fim, a psiquiatria.

Essas doenças surgem nos diversos sistemas do corpo e são de difícil diagnóstico, pois a causa do sintoma está diretamente ligada ao emocional da pessoa, que é a causa do aparecimento da doença, da crise, ou no aumento e manutenção do sintoma.

Há os que defendem que corpo e mente são coisas distintas; outros acreditam que haja uma identidade entre ambos, mas a Psicanálise demonstra que a mente se sobrepoem ao corpo.

Mente é o conjunto de funções desempenhadas pelo cérebro e pode ser dividida em consciente e inconsciente. O inconsciente é um conjunto de atos e fatos psíquicos, geralmente inacessíveis, que gera os sentimentos, os conflitos, as angústias e ansiedades.

O inconsciente se comunica por diversas formas, sendo uma delas as doenças psicossomáticas. Nessas doenças, mesmo desconfiando que a origem é psíquica, surge a dúvida, porque a dor é real e sentida no corpo. Não se trata de um desconforto emocional: há uma dor.

E não há nisso nada de estranho, pois o sintoma e a doença existem realmente e quase sempre não são controlados com medicamentos, o que gera a busca aos mais diversos tratamentos, não só médicos como também religiosos ou espirituais, na busca da cura ou alívio.

Indícios fortes de que a doença é pisicossomática são os fatos dela surgir de repente, não ter uma justificativa física e não ser controlada por remédios. Ao contrário de pessoas que tem outro tipo de doenças, as que são psicossomáticas não se conformam, ficam irritados, descrentes, porque sabem que aquele tratamento, aquele remédio não vai funcionar. Ansiedade é sentimento comum.

É óbvio que o corpo deve ser tratado. O médico deve ser consultado e o tratamento seguido a risca, mas a causa psíquica deve ser descoberta. A pessoa tem que descobrir quais sofrimentos emocionais estão originando aqueles sintomas, para impedir a evolução do problema e eliminá-lo.

Circula um texto pela internet que reproduz bem, a visão psicanalítica:

- o nariz escorre quando o corpo não chora;

- a garganta dói e entope quando não é possível falar das aflições;

- o estômago queima quando a raiva não consegue sair;

- o corpo engorda quando a insatisfação aperta;

- a cabeça dói quando os pensamentos são insuportáveis;

- a pressão sobe quando o medo chega.

Se você tem algum sintoma “estranho”, sem causa aparente, não detectado por exames médicos e resistente a remédios, busque uma orientação psíquica, além do tratamento médico convencional.

E lembre-se: quem planta pimenta não colhe maracujá. O plantio é livre, mas a colheita é obrigatória…

É normal que tenhamos perdas, que nos façam sofrer e que façamos outros sofrerem, mas é imprescindível que nos livremos das culpas e das raivas.

Dr. Antonio Carlos – Psicanalista

3045-6331   9965-3541

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Agora tá ruim, mas no futuro

Depressão

O Invisível Concreto

Quem sou EU

Romper ou manter o relacionamento?

Para que e por que fazer análise?

Por que ele fez isso ?

Receita para ser feliz

Entre o Corpo e o Espírito

Angústia

Para que fazer Análise?

Discutindo a relação

As lembranças

Opinião e Palpite

Você é quem gostaria de ser?

Quem ama o feio, bonito lhe parece.

Por que rejeitamos a felicidade?

Mãe e filho

Por que vejo o mundo assim?

Doenças

O lado secreto da vida

Solidão

Por que tenho isso, Doutor?

As diferenças

A Morte

Sensações ruins

Vontade, desejo e felicidade.

O que é Psicanálise

Felicidade – Isso existe?

A Bolsa de Valores de Chiawg-Xui

Saia do buraco

Ano Novo – Tudo Velho

O que você quer?

As cracas da nossa vida

A vida que escolhemos

A Importância da família

Desejos

Doenças Psicossomáticas

O que é Análise Psicanalítica? Para que serve? Como atua?

A Mudança e a Decisão

Por que sou assim ?

Esclarecimentos sobre o tratamento psicanalítico.

A dor e a Psicanálise

Vou ser feliz e já volto

O carcereiro e o encarcerado